Dicas sobre viagem

Bagagem danificada, extraviada ou violada

Em caso de danos ou sinais de violação, a bagagem deve ser retirada da esteira do aeroporto pelo passageiro, que precisa comunicar o problema imediatamente à companhia aérea. Normalmente há um despachante da empresa perto. Será preenchido um relatório contendo os detalhes sobre os danos causados.

A empresa aérea deverá ser responsabilizada e pagar indenização ou reparo da bagagem. Em caso de extravio, o passageiro deverá comunicar o problema antes de deixar a área de entrega das bagagens. A empresa tratará de localizar a bagagem e se não tiver êxito, será obrigada a indenizar o passageiro.

Fonte: www.abav.com.br

Bagagens não permitidas

Veja abaixo alguns artigos* que você não pode transportar como bagagem.

Atenção! Não poderão ser aceitos como bagagem caiaque e asa delta em vôos envolvendo conexões com as empresas da Star Alliance.

Produtos perigosos:

» amostras para testes
» materiais magnéticos, oxidantes, radiativos e polimerizáveis
» equipamento de laboratório, de perfuração, elétrico e dentário
» gases comprimidos
» produtos venenosos e corrosivos
» explosivos, munições e fogos de artifício
» produtos químicos e farmacêuticos
» líquidos e sólidos inflamáveis
» barômetros, manômetros e fotômetros
» butano
» armas de fogo**

* Produtos sujeitos à Regulamentação de Artigos Perigosos da IATA - International Air Transport Association.

** Exceto quando portadas por autoridades competentes; ou armas desportivas, desmontadas, embaladas e devidamente acondicionadas, devendo ser transportadas no compartimento de bagagem.

Salvo exceções, é obrigatório que o passageiro de vôo internacional com conexão em vôo doméstico, ao desembarcar no Brasil, apresente sua bagagem para inspeção alfandegária, e após a inspeção redespachá-las para o destino final.

Reclamações sobre irregularidades com sua bagagem devem ser imediatamente informadas aos funcionários da companhia aérea no ato do recebimento e antes de deixar o recinto de entrega da bagagem.

Fonte: www.abav.com.br

Documentação de viagem

Providencie o passaporte com pelo menos um mês de antecedência. Se já o tiver, verifique o prazo de validade do passaporte (normalmente válido por dez anos) e dos vistos. Ao receber as passagens, ou vouchers, confira dados e serviços solicitados. Vale levar sempre uma cópia do passaporte.
Anote todos os telefones de autoridades consulares de seu país no país de destino, afim de solucionar eventuais dúvidas ou contratempos de documentação no aeroporto.

Fonte: www.abav.com.br

EUA Novos procedimentos para inspeção de bagagem nos vôos.

EUA: Novos procedimentos para inspeção de bagagem nos vôos. Atendendo ao T.S.A (Transportation Security Administration) EA 1456-01-07Q, informamos que a partir de 31 de Dezembro de 2002, todas as bagagens com origem nos Estados Unidos embarcando em vôos Internacionais ou domésticos em território americano, incluindo bagagens em conexão, sofrerão inspeção alfandegária através de Raio-X.

Na chegada aos Estados Unidos os passageiros em conexão serão solicitados a retirar suas bagagens, destrancá-las e entregá-las à empresa do vôo de conexão, na área de interline do aeroporto.

Caso o passageiro não aceite deixar sua bagagem destrancada, o mesmo deverá estar ciente que se por alguma razão, após a passagem pelo RAIO-X, as autoridades solicitarem a inspeção da bagagem, ela será aberta. Caso a vistoria não possa ser efetuada, esta bagagem não será embarcada no vôo de prosseguimento.

Após a inspeção, o T.S.A colocará um cartão na bagagem informando sobre a sua abertura e inspeção.

Caso a bagagem seja danificada na abertura, a mesma será fechada de maneira que seja transportada de forma segura.

Caso a bagagem seja inspecionada e detectado algo suspeito, a mesma poderá ser aberta sendo a empresa aérea notificada.

Após a passagem pelo RAIO-X, a bagagem receberá uma etiqueta fluorescente.

A bagagem somente poderá ser embarcada no vôo de conexão caso tenha essa etiqueta afixada.

Caso o passageiro opte por despachar sua bagagem somente até o porto de entrada nos Estados Unidos, deverá estar ciente sobre os procedimentos e será de sua responsabilidade redespachar sua bagagem e fazer seu novo check-in.

»Bagagem de mão:

Deve ser limitada a somente um volume por passageiro e um “Business article” (briefcase, laptop etc).

Cadeiras de rodas, muletas etc são tratadas como exceções.

Alguns instrumentos musicais também poderão ser levados em adição aos itens acima mencionados.

Objetos considerados restritos de serem levados a bordo:

Arma de fogo, isqueiros em forma de arma, partes de armas, réplicas de armas, pistolas, nenhum item que se assemelhe a uma arma, arco e flecha, furadores de gelo, tesouras pontiagudas, chave-de-fenda (exceto aquela que se aplique para o conserto de óculos), facas de qualquer tipo (permitido somente faca para manteiga com lâmina arredondada e sem ponta), instrumentos cortantes de qualquer tipo incluindo canivetes, estiletes, objetos com lâminas dobráveis ou retráteis independente do tamanho da lâmina ou da composição, tacos de baseball, tacos de cricket, tacos de golfe, tacos de hockeys, martelos, instrumentos de arte marcial, todos os explosivos, incendiários, fósforos em grande quantidade etc.

» Armas:

Caso, ao passar pelo Raio-X, seja detectada arma na bagagem despachada, será solicitado ao passageiro que se dirija à área específica para proceder à abertura da bagagem para inspeção.

» Desembarque (EUA):

O passageiro deverá entregar a bagagem em conexão destrancada à próxima empresa.

» Check-in de transferência (E.U.A):

O passageiro deverá despachar a bagagem destrancada. Caso não aceite fazê-lo, deve estar ciente sobre a inspeção e quais medidas poderão ser tomadas pelas autoridades locais (abertura da bagagem, possível danificação na abertura, demora no processo de liberação da mesma, podendo ocasionar até perda de conexão).

» Serviço de Bagagem:

Para dar entrada no processo de dano e violação, o passageiro deve verificar se a referida bagagem possui o cartão do Órgão Americano informando que a referida bagagem foi aberta para inspeção. Casos sobre violação das bagagens que foram abertas para inspeção pelo T.S.A serão tratados individualmente pelas empresas aéreas, pelo T.S.A e pelo aeroporto em conjunto.

» Observações:

Bagagens não poderão, em hipótese alguma, seguir desacompanhadas. Não pode haver despacho de bagagem em grupo, com exceção de casais viajando juntos.

Fonte: www.abav.com.br

Orientações para quem vai viajar ao exterior

Nos últimos anos, a maioria dos países no mundo tem adotado medidas mais rígidas no controle de entrada e circulação de estrangeiros nos seus territórios. Por isso, quando você for viajar para algum país, para turismo, estudo ou trabalho, cuidados redobrados devem ser tomados antes da sua partida. Seguem algumas recomendações:

• Cada país usa diferentes critérios e exigências para a entrada e permanência de estrangeiros. Certifique-se junto à Embaixada ou Consulado do país para onde for viajar quais são esses requisitos, dependendo do objetivo da sua viagem.

• Não viaje com visto de turista caso seu objetivo seja estudar ou trabalhar no país de destino. Você poderá ser preso e deportado.

• Alguns países não exigem visto para turistas brasileiros. Essa dispensa não serve para quem for estudar ou trabalhar.

• Ter um visto ou estar dispensado do visto não dá direito à entrada automática naquele país. A decisão final sobre sua entrada somente é dada no ponto de entrada pela autoridade migratória. É decisão soberana de todo país aceitar ou não a entrada de cada estrangeiro no seu território. A desconfiança sobre os reais motivos da ida ao país é motivo suficiente para não permitir a entrada do estrangeiro. Adote sempre tom respeitoso e evite cair em contradições nos contatos com as autoridades estrangeiras.

• Da mesma forma, as Embaixadas e Consulados não são obrigados a dar os vistos solicitados. A recusa em conceder um visto não necessita ser justificada.

• Desconfie de intermediários que prometem levar você a algum país sem os documentos exigidos. Trata-se de imigração ilegal e você poderá acabar preso naquele país.

• O tempo que você poderá ficar no país de destino será determinado pela autoridade migratória no ponto de entrada. Verifique bem qual foi o prazo autorizado no seu caso.

• Leve consigo os endereços e telefones das Embaixadas e Consulados brasileiros no seu país de destino. Em caso de dificuldade não hesite em contatá-las.

• Caso venha a ser detido por alguma autoridade estrangeira, você tem o direito de pedir para telefonar para sua Embaixada ou Consulado. Faça uso desse direito!

• Quando viajar, leve sempre cópia dos seus documentos (carteira de identidade, título de eleitor, certificado de alistamento militar, certidão de nascimento ou casamento). Eles serão necessários para tirar novo passaporte no exterior em caso de extravio do anterior.

• Todos os países adotam penalidades extremamente rigorosas de punição ao tráfico de drogas, sendo que alguns países aplicam a pena de morte a casos assim, independentemente do alegado desconhecimento quanto à legislação local.

• Não viaje para regiões conflagradas ou conturbadas. Na dúvida, consulte antes o Ministério das Relações Exteriores.

Fonte: Divisão de Assistência Consular (DAC)

Transporte de animais

Em época de férias muitas famílias deparam-se com um problemão: o que fazer com o animalzinho de estimação? Se o auxílio de amigos que se dispõem a alimentar e dar água ao bichinho ou mesmo os hotéis especializados na tarefa forem descartados, a única saída é levá-los na viagem.

Na legislação das companhias aéreas animais domésticos restringem-se a cães e gatos, mas consta que os animais vivos poderão ser transportados em aeronaves não cargueiras, em compartimento destinado a carga e bagagem .

De acordo com o artigo 46º da regulamentação para transporte aéreo de passageiros/doméstico, aprovada pela portaria n° 676/GC, de 13 de novembro de 2000, o transporte de animais domésticos (cães e gatos) na cabina de passageiros poderá ser admitido, desde que transportado com segurança, em embalagem apropriada e não acarretem desconforto aos demais passageiros .

Por mais que doa seu coração, vale não esquecer que o animalzinho fará parte de sua bagagem, ou seja: você pagará como excesso de bagagem a razão de 1% por quilo excedido. Exemplo: se a sua mala pesar 12 quilos e o cão/gato 15, será cobrado o referente a 7% da tarifa cheia do trecho que estiver voando, já que é permitido levar 20 quilos de bagagem por pessoa.

Os animais devem ser acondicionados em containers de fibra com espaço para movimentação de 360° graus. Os containers não são comercializa dos pela empresas aéreas, devendo ser adquiridos em lojas especializadas. Além disso, deve-se apresentar, no balcão de embarque, atestados de sanidade, vacinação e a guia de trânsito. Os atestados devem ser fornecidos pela Secretaria de Agricultura Estadual, Posto do Departamento de Defesa Animal ou por médico veterinário.

O único animal transportado na cabina de passageiro, em adição à franquia de bagagem e livre de pagamento, é o cão treinado para conduzir deficiente visual ou auditivo, que dependa inteiramente dele.

Fonte: www.propagtur.com.br

Publicidade

Rua Carlos Gomes, nº 50, Edifício Aplub, 10º andar - Centro | CEP: 40060-330 Salvador-BA
Contato : (071) 3328-3423 / 3042-7700

© Copyright 2011 - Candeias Bahia

Desenvolvido por Vinemídia